Entre Buda e Peste: as belas pontes da capital húngara

Início » Europa » Hungria » Budapeste » Entre Buda e Peste: as belas pontes da capital húngara

O Danúbio é o segundo rio mais longo da Europa, perdendo o primeiro lugar para o rio Volga, na Rússia. Tendo a sua nascente na Alemanha, na região da Floresta Negra, atravessa o velho continente de oeste a leste, até desaguar no Mar Negro, na Roménia. Pelo caminho, percorre a Hungria e divide a cidade de Budapeste.

Na margem direita do rio, encontram-se as antigas cidades de Buda e Óbuda. Na margem esquerda, a antiga cidade de Peste. A uni-las estão as mais variadas pontes. Em algumas dessas pontes circulam tanto veículos como pedestres, enquanto que outras são exclusivamente utilizadas por eléctricos. Umas mais antigas, outras mais modernas, todas são bonitas. Percorrendo a cidade de norte a sul, vamos conhecê-las.

Ponte Újpesti Vasúti

A ponte Újpesti Vasúti localiza-se na parte norte da cidade. É uma ponte exclusivamente rodoviária. É por aqui que passam os comboios que ligam Budapeste à cidade de Esztergom (mesmo na fronteira com a Eslováquia).

Ponte Árpád

A ponte Árpád passa na zona norte da ilha Margit, dando acesso à ilha. Originalmente chamada de ponte Stalin, o seu nome foi alterado em 1958 em homenagem a Árpád, Príncipe dos Magiares.

Ponte Margit

A ponte Margit encontra-se na zona sul da ilha Margit, dando acesso à ilha. Foi construída entre 1872 e 1876, sendo a segunda ponta mais antiga de Budapeste. A pequena extensão que permite aceder à ilha Margit, foi apenas construída duas décadas após a ponte estar terminada por falta de fundos.

Ponte Margit 01 Budapeste Hungria Mundo Indefinido

Ponte Széchenyi Lánchíd

A ponte Széchenyi Lánchíd, ou ponte das correntes é, muito provavelmente, a mais conhecida de todas. É a ponte mais antiga de Budapeste, tendo sido concluída em 1849. As suas torres de sustentação ficam maravilhosamente iluminadas à noite.

Ponte Széchenyi Lánchíd 01 Budapeste Hungria Mundo Indefinido

Ponte Széchenyi Lánchíd 02 Budapeste Hungria Mundo Indefinido

Ponte Erzsébet

A ponte Erzsébet foi concluída em 1903. O seu nome é em honra da Rainha Erzsébet, imperatriz do império Austro-húngaro até ao seu assassinato em 1890. Há uma estátua de bronze da rainha numa pequena praça junto à entrada da ponte, do lado de Buda.

Ponte Erzsébet 01 Budapeste Hungria Mundo Indefinido

Ponte Erzsébet 02 Budapeste Hungria Mundo Indefinido

Ponte Szabadság

A ponte Szabadság, ou ponte da liberdade, tem uma estrutura de ferro pintada na cor verde. A par com a ponte Széchenyi Lánchíd, também é das mais conhecidas de Budapeste. A sua construção foi concluída em 1899. Bem perto da ponte, no lado de Buda, encontram-se as Termas Gellért.

Ponte Szabadság 01 Budapeste Hungria Mundo Indefinido

Ponte Szabadság 02 Budapeste Hungria Mundo Indefinido

Ponte Szabadság 03 Budapeste Hungria Mundo Indefinido

Ponte Petőfi

A ponte Petőfi é uma das mais recentes, tendo sido construída em 1937. Entre a sua construção e o ano de 1945, foi conhecida como ponte Miklós Horthy, um militar da marinha que foi testemunha nos julgamentos de Nuremberg e que viveu (e morreu) em Portugal. O nome actual da ponte é em homenagem ao poeta húngaro Sándor Petőfi.

Ponte Rákóczi

A ponte Rákóczi localiza-se na parte sul da cidade. É bem mais recente do que todas as outras pontes, tendo sido inaugurada em 1995. Até 2011, era conhecida como ponte Lágymányos.

Já conhecias todas estas pontes?

Guia prático

Mapa com as pontes

Alojamento

Fui a Budapeste duas vezes, e em cada uma delas fiquei em sítios diferentes. Na primeira vez, éramos 2 e ficámos num hostel, o Avenue Hostel. Na segunda vez éramos 5, e escolhemos um apartamento, o Boutique Design Studio, porque ficava mais em conta. Ambas as opções foram muito interessantes a nível de preço, bem localizadas, e com transportes à porta. Mas Budapeste tem imensas opções de alojamento, para todos os gostos e carteiras.

Pesquisar alojamento em Budapeste

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

6 comentários