Cataratas do Iguaçu Argentina Mundo Indefinido

Visitando as Cataratas do Iguaçu do lado argentino

Início » América do Sul » Argentina » Misiones » Visitando as Cataratas do Iguaçu do lado argentino

As Cataratas do Iguaçu estavam na minha lista de locais a conhecer há muito tempo. Como resistir a um conjunto de mais de 200 quedas de água que dividem o Brasil e a Argentina? Na minha perspectiva, é impossível.

Assim, quando fui ao Brasil em 2022 para visitar familiares, planeei também a minha visita a este local maravilhoso, que é considerado Património Mundial pela UNESCO desde 1984 (lado argentino) e 1986 (lado brasileiro).

Dividi a minha ida às Cataratas do Iguaçu em dois artigos, um sobre o lado argentino e outro sobre o lado brasileiro. São bastante diferentes entre si, mas acredito que a experiência só fica completa indo aos dois. Continua a ler e vais perceber porquê.

Cataratas do Iguaçu Argentina 01 Mundo Indefinido

O que são e onde ficam as Cataratas do Iguaçu

De um lado está o Parque Nacional Iguazú, em Misiones, na Argentina. Do outro, o Parque Nacional do Iguaçu, em Paraná, no Brasil. A dividir os dois países temos o rio Iguaçu. Em conjunto, os parques têm uma área de 250 mil hectares e dão acesso às inesquecíveis Cataratas. No total, são 275.

Diz-se que o primeiro europeu a encontrar as Cataratas do Iguaçu foi o espanhol Álvar Núñez Cabeza de Vaca, em 1541. Desde então que as Cataratas têm visto um número crescente de visitantes. Afinal de contas, estas são uma das maiores cataratas do mundo tanto em número de quedas de água como de volume.

O nome Iguaçu deriva das palavras Tupi ou Guarani y e ûasú, que significam água grande, e tem uma lenda associada.

Segundo a lenda, uma divindade desejava casar com uma bela mulher chamada Naipí. No entanto, Naipí não tinha intenções de se casar com a divindade, e fugiu com o seu amante mortal, Tarobá, numa canoa. Furiosa, a divindade separou o rio, criando diversas cascatas e condenando os amantes a quedas eternas.

Cataratas do Iguaçu Argentina 02 Mundo Indefinido

O lado argentino das Cataratas do Iguaçu

O Parque Nacional Iguazú foi criado em 1934 e é considerado Património Mundial pela UNESCO desde 1984. É um Parque extremamente natural, mais puro, no sentido em que a maior parte do trajecto é feito por entre as árvores, em total harmonia com a natureza.

Embora o rio Iguaçu nasça no Brasil e aí faça a maior parte do seu percurso, é na Argentina que encontramos a grande maioria das quedas de água. Assim, ao visitar o Parque Nacional Iguazú temos acesso directo às Cataratas. A proximidade é impressionante. Seguimos o rio Iguaçu de cima, através dos passadiços, e tornamo-nos unos com a água até que ela caia em cataratas de uma beleza avassaladora.

O comboio ecológico pode-nos levar até ao início dos diferentes circuitos, sendo que os percursos em si são feitos a pé. Também é possível caminhar durante todo o trajecto, que foi o que eu fiz. A cada passo somos envolvidos por uma natureza verdejante e o barulho da água quase que se torna ensurdecedor.

O Parque Nacional Iguazú conta também com 418 espécies diferentes de aves, onças, peixes, tartarugas, macacos-prego, e os inesquecíveis quatis.

Cataratas do Iguaçu Argentina 03 Mundo Indefinido
Cataratas do Iguaçu Argentina 04 Mundo Indefinido

Os quatro circuitos do lado argentino das Cataratas do Iguaçu

O Parque Nacional Iguazú tem 4 circuitos principais:

  • Circuito Inferior, que permite ver as Cataratas de baixo;
  • Circuito Superior, que permite ver as Cataratas de cima;
  • Sendero Macuco, que permite aceder à Catarata Arrechea; e
  • Garganta del Diabo, que permite ver a principal Catarata de cima.

Para quem não quiser utilizar o comboio ecológico até ao início dos dois primeiros circuitos, é só seguir o Sendero Verde. Este é um pequeno percurso plano de 650 metros, repleto de árvores, que nos deixa no estado de espírito certo para abraçar o resto do Parque.

Cataratas do Iguaçu Argentina Mapa Mundo Indefinido

Circuito Inferior

O Circuito Inferior tem 1400 metros de extensão. Uma parte do percurso tem lances de escadas, sendo que essa parte não está adaptada para pessoas com mobilidade reduzida. No entanto, 70% do percurso é acessível e, no total, demora cerca de 1h30 a terminar.

Neste circuito andamos no meio da selva, bem junto à vegetação, e temos acesso, de frente, a diversas Cataratas, como a Bossetti, Álvar Núñez, Chico Alférez, ou Duas Irmãs. Existem também vários miradouros e locais para descansar.

Cataratas do Iguaçu Argentina Circuito Inferior 01 Mundo Indefinido
Cataratas do Iguaçu Argentina Circuito Inferior 02 Mundo Indefinido

Circuito Superior

O Circuito Superior tem 1550 metros de extensão. Todo o percurso está adaptado para pessoas com mobilidade reduzida e demora cerca de 1h30 a terminar.

Neste circuito conseguimos ter as melhores vistas panorâmicas, e temos acesso, de cima, a diversas Cataratas, como a Mbiguá, Adão e Eva ou Bossetti. Existem também alguns locais para descansar.

Cataratas do Iguaçu Argentina Circuito Superior 01 Mundo Indefinido
Cataratas do Iguaçu Argentina Circuito Superior 02 Mundo Indefinido

Sendero Macuco

O Sendero Macuco tem 3500 metros de extensão e não está adaptado para pessoas com mobilidade reduzida. Aliás, todo o percurso é bastante agreste, e não tem qualquer tipo de serviços. No entanto, o percurso termina na Catarata Arrechea, sendo o único acesso possível a esta Catarata.

O percurso demora cerca de 3 horas a terminar, mas a sua abertura depende do clima. Quando estive no Parque Nacional Iguazú, o acesso encontrava-se vedado.

Garganta del Diabo

Visitar a Garganta del Diabo deve ser uma experiência incrível. Com um total de 1110 metros de extensão e adaptado para pessoas com mobilidade reduzida, o final do percurso deixa-nos mesmo em cima da principal catarata do Parque. A Garganta do Diabo tem 82 metros de altura, 150 metros de largura e 700 metros de comprimento, e marca a fronteira entre a Argentina e o Brasil.

Infelizmente, devido ao enorme volume de água que as Cataratas tiveram em 2022, o acesso ao miradouro estava encerrado no dia em que visitei o Parque. Em Outubro desse ano, uma parte dos passadiços acabou por ceder e o acesso ficou interdito durante vários meses.

Em Março de 2023, os passadiços foram abertos novamente. Há, também, um projecto para ampliação do espaço e construção de um segundo passadiço, fazendo com que o número possível de visitantes duplique.

O melhor é chegar cedo ao Parque e, se for possível visitar, começar pela Garganta do Diabo. Podemos usar o comboio ecológico, nos leva até ao início dos passadiços, e que está incluído no preço do bilhete. Contando com o tempo do comboio e pausas para fotografias, o percurso demora cerca de 2 horas a terminar.

Actividades extra: Iguazú Jungle

Para além dos quatro percursos disponíveis, a Iguazú Jungle oferece outras actividades para os mais destemidos, como a Gran Aventura e o Paseo Ecológico.

Na Gran Aventura vamos num pequeno barco até junto das Cataratas. Diria que é apenas indicado para quem gosta realmente de adrenalina e emoção, porque o barco anda bastante rápido e faz curvas apertadas. Mesmo com capas para a chuva, a probabilidade de ficarmos completamente molhados é grande. Assim, o melhor é levar uma muda de roupa.

Guia prático

Como chegar

A partir de Puerto Iguazú, a melhor forma de se chegar ao Parque Nacional Iguazú é de autocarro. A empresa de transporte Río Uruguay tem autocarros para o parque a cada 20 minutos, todos os dias do ano. Os autocarros partem do Hito Tres Fronteras e do Terminal de Puerto Iguazú.

No Terminal de Puerto Iguazú (Terminal de Omnibus) existem bilheteiras da Río Uruguay e é possível comprar logo o bilhete de ida e volta. Também há pequenos cafés onde podemos comer uma empanada argentina enquanto esperamos pelo autocarro.

Cada viagem custa AR$ 650. Se não comprares bilhete de ida e volta, no regresso o pagamento é feito directamente ao motorista, em dinheiro.

Informação útil

Site: Iguazú Argentina
Compra de bilhetes: Parques Nacionales Iguazu (entrada apenas com dia marcado)
Horário: Todos os dias das 8h00 às 18h00
Preço: AR$ 20 000 para não residentes na Argentina (preços detalhados)
Morada: Parque Nacional Iguazú, Puerto Iguazu, Misiones, Argentina

Para uma conversão actualizada de pesos argentinos para euros, vê o site xe.com.
Nota: Horários e preços à data de publicação deste artigo.

Alojamento

Para não ter de atravessar a fronteira no dia da visita às Cataratas, fiquei a dormir em Puerto Iguazú (Argentina) na noite antes de ir às cataratas do lado argentino. Da mesma forma, fiquei em Foz do Iguaçu (Brasil) antes de ir às cataratas do lado brasileiro. Isto fez-me poupar tempo e estar em ambos os parques nacionais na abertura.

Em Puerto Iguazú, fiquei no Hotel Amayal, um hotel muito bem localizado, mesmo junto à estação de autocarros de onde parte o transporte para as Cataratas. Os quartos têm uma boa dimensão e o pequeno-almoço está incluído.

Em Foz do Iguaçu, fiquei na Pousada Sonho Meu Foz, uma pousada também ela muito próxima da estação de autocarros de onde parte o transporte para as Cataratas. Os quartos são simples mas limpos. O pequeno-almoço está incluído e é excelente, com uma enorme variedade.

Em ambas as cidades existem várias opções de alojamento, para todos os bolsos. Há, até, opções para quem deseja ficar dentro do Parque Nacional do Iguaçu, no Brasil, como o magnífico Belmond Hotel das Cataratas. Do lado argentino, o Gran Meliá Iguazú não deixará ninguém indiferente.

Alojamento em Puerto IguazúAlojamento em Foz do Iguaçu

Este artigo pode conter links afiliados.

 

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *